Menu fechado

Por Thiago Kohler Valerio

sepse: uma abordagem prática do consenso brasileiro veterinário de sepse

Atualize-se sobre tratamento e outros procedimentos fundamentais em casos de sepse

Para muitos veterinários a sepse ainda é uma síndrome rara, quase que um unicórnio dentre os pacientes que chegam ao serviço veterinário. Esse equívoco existe porque muitos desconhecem as ferramentas de triagem para sepse, tornando-se incapazes de diagnosticar essa síndrome. Outras vezes o diagnóstico é tardio, o que diminui as chances de sucesso no tratamento. Em 1991 a comunidade médica publicou o primeiro consenso padronizando a definição e classificação de sepse, seguidos pelo consenso de 2001 e 2016, porém esses documentos são desconhecidos por uma grande parte da comunidade veterinária. Interessante notar, por exemplo, que no meio veterinário há profissionais que ainda utilizam a palavra septicemia, em desuso já no consenso de 1991.
 

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar