Menu fechado

Por Carolina Hagy Girotto e Santiago Garcia Vallarino

Reposição volêmica em pacientes anestesiados

A fluidoterapia durante o procedimento anestésico é uma prática comum e imprescindível, porém ainda é fonte de muitas discussões ao que se refere ao tipo de fluido utilizado,volume e tempo a ser infundido para cada paciente (Davis et al., 2013)

Casos de hipovolemia, hipoperfusão e hipotensão na anestesia são comuns e devem ser tratados de forma precoce afim de evitar danos orgânicos. Já se sabe que tanto a fluidoterapia liberal quanto a fluidoterapia restritiva podem trazer danos, desta forma deve ser avaliada e individualizada atendendo a necessidade de cada paciente (Davis et al., 2013; Michard e Teboul, 2000).

Seja bem-vindo(a) leitor(a)!
Ainda não é assinante?

Assine agora e tenha acesso ilimitado a todas as materias de todas as edições da revista Medicina Veterinária em Foco!

Assinar